Construtores e Atingidos da Baixo Iguaçu se reúnem

AddThis Social Bookmark Button

 

“De um lado os proprietários, familiares, meeiros e agregados do outro a empresa que reuniu condições e preços para construir aquele que será o último aproveitamento do rio Iguaçu, já a não muitos quilômetros das Cataratas. Muitos já foram os projetos, entre eles o projeto Usina de Capanema, da antiga Eletrosul. Depois vieram outros e outros, só agora, parece que as máquinas irão trabalhar para mais um desvio naquele que já foi rio... o Iguaçu”!

Integrantes da Geração Céu Azul e da Adahbi (Associação dos atingidos da hidroelétrica do Baixo Iguaçu) se reuniram no dia 18, na prefeitura de Capitão, para a ver as primeiras propostas para indenização dos proprietários e outros, que serão atingidos pelo lago da usina.

Durante a apresentação pela ETS (empresa contratada para fazer o levantamento), fora colocado os preços que os proprietários deverão receber pelas áreas alagadas ou remanescentes que atingirá os municípios de Capanema, Capitão Leônidas Marques e Realeza.

Presentes na reunião, além da diretoria da Adahbi, a prefeita Lindamir; e os prefeitos: Milton e Ivar dos municípios acima citados, respectivamente, que acompanharam essa fase inicial das negociações. Estiveram presentes ainda, dirigentes e funcionários da Neoenergia, empresa vencedora da licitação e futuros atingidos.

A empresa que terá a obrigação da construção e geração fez propostas, conforme eles, baseados em pesquisas e dados, com uma variação de pouco mais de 27 à 66 mil o alqueira da terra nua, depois acrescentaria ao valor da propriedade todas as benfeitorias, árvores pomar e outros bens. O indenizado além de receber por tal benfeitoria terá o direito de tirar do local.

O prazo é curto, para que haja tal negociação, conforme a empresa será até no mês de março deste ano. As negociações já deram início e se não houver entendimentos há a possibilidade de depósito judicial.

 
Free business joomla templates